Biblioteca Florestal
Digital

Crescimento e potencial energético de plantas intactas e de brotações de plantas jovens de clones de eucalipto

Show simple item record

dc.contributor.advisor Reis, Geraldo Gonçalves dos
dc.contributor.author Souza, Felippe Coelho de
dc.date.accessioned 2014-08-14T14:31:38Z
dc.date.available 2014-08-14T14:31:38Z
dc.date.issued 2011-02-18
dc.identifier.citation SOUZA, F. C. Crescimento e potencial energético de plantas intactas e de brotações de plantas jovens de clones de eucalipto. 2011. 56 f. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal). Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 2011. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/9895
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.description.abstract A biomassa de florestas plantadas de rápido crescimento pode ser uma opção para suprir a elevada demanda por fonte alternativa de energia. Este trabalho teve por objetivo analisar o crescimento e o potencial energético de plantas intactas e de brotações de oito clones de eucalipto submetidos à decepa em estádio juvenil, com ou sem desbrota, sob espaçamento inicial de 3x3 m, visando a produção de biomassa para energia em rotações curtas. O trabalho foi conduzido no município de Vazante, MG (17°36’09”S e 46°42’02”W), na região de cerrado, com défice hídrico bastante acentuado durante seis meses do ano. A decepa foi realizada em plantas com 13 meses de idade e o crescimento em diâmetro, altura e volume, das plantas intactas e das brotações, foi avaliado até 55 meses após plantio. Aos 55 meses após o plantio, foram retiradas amostras para a determinação do poder calorífico e da densidade da madeira das plantas intactas e das brotações dos seis clones mais produtivos. As maiores estimativas de crescimento em volume por ha das brotações foram obtidas para os clones denominados de 58, GG100, 1000 e 36. Não foi observada diferença (p>0,05) para os valores assintóticos e tendências de crescimento em volume por ha entre os tratamentos com e sem desbrota da maioria dos clones estudados. A produção dos clones 8B e 1270 foi reduzida, não sendo recomendados para plantio na região do estudo. Comparando-se o crescimento das brotações e plantas intactas aos 36 meses, as estimativas de volume por ha das brotações foram 67% maior do que as plantas intactas para o clone 58, 61% para o GG100, 252% para o 1000, 179% para o 36, 54% para o 26 e 93% para o 910, indicando a possibilidade de antecipação da idade de rotação para as brotações. A freqüência de brotos, por ha, aos 55 meses após o plantio, foi maior nas classes de diâmetro menores, o que não interfere na produção de biomassa em razão do número maior de fustes por cepa em comparação com as plantas intactas, de fuste único. A produção em massa seca e o potencial energético do clone 1000 foram menores (p≤0,05) quando houve desbrota, em comparação com o tratamento sem desbrota e plantas intactas, enquanto para o clone 36 o potencial energético foi menor para o tratamento sem desbrota. Não foi observada diferença significativa para os demais clones. Estes resultados indicam a possibilidade de uso da decepa de eucalipto em estádio juvenil e o manejo da brotação em rotações curtas para produção de biomassa para energia em sucessivas rotações, não sendo necessária a realização da desbrota para os clones estudados. Considerando que os povoamentos de eucalipto deverão ser manejados em várias rotações para a produção de biomassa para energia, deve-se dar prioridade a informações sobre potencial energético das brotações. pt_BR
dc.description.abstract The biomass of fast growth planted forests can be an option to meet the high demand of alternative energy source. This study aimed to analyze the growth and the energy potential of intact plants and coppice with or without sprout thinning, of eight eucalypt clones harvested in juvenile stage, in a 3x3m initial spacing, aimed at biomass production for energy in short rotations. This study was conducted in the municipality of Vazante, MG (17° 36'09"S and 46°42'02"W), in the cerrado region, with very strong water deficit during six months of the year. The decapitation was performed on 13 months old plants and the growth in diameter, height and volume of intact plants and coppice was evaluated until 55 months after planting. At 55 months after planting, wood samples were collected in order to determine its calorific value and the density for intact plants and coppice of the six most productive clones. The highest growth estimates in volume per hectare of the sprouts were displayed by the clones 58, GG100, 1000 and 36. There was no difference (p> 0.05) for the asymptotic values and growth trends in volume per hectare between the two levels of sprout thinning of most of the clones. Clones 8B and 1270 presented very low productivity and are not recommended for planting in the studied region. Comparing the growth of the sprouts and intact plants at 36 months of age, the estimates of volume per hectare of the sprouts were 67% higher than for the intact plants for the clone 58, 61% for the clone GG100, 252% for the clone 1000, 179% for the clone 36, 54% for the clone 26 and 93% for the clone 910, indicating the possibility of anticipating the rotation age for the coppice. The frequency of spouts per hectare at 55 months after planting was higher in the smallest diameter classes, which does not interfere in biomass production due to the greater number of stems per plant compared with the single stem of intact plants. The dry-weight biomass yield and the potential energy of the clone 1000 were smaller (p≤0.05) for the coppice with sprout thinning as compared to intact plants and coppice without sprout thinning, while the potential energy of the clone 36 was smaller for the coppice without sprout thinning. There were no differences (p>0.05) among the treatments for the other clones, for these variables. These results indicate that eucalypt harvesting in the juvenile stage and coppice management in short rotations can be used to produce biomass for energy in successive rotations, not being necessary to perform the sprout thinning for the studied clones. A better understanding of coppice growth and energy potential of different eucalypt genetic material is required as the plantations are managed in several rotations for biomass production for energy. pt_BR
dc.format 56 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Tecnologia e utilização de produtos florestais::Energia de biomassa florestal pt_BR
dc.title Crescimento e potencial energético de plantas intactas e de brotações de plantas jovens de clones de eucalipto pt_BR
dc.title Growth and potential energy evaluation of intact plants and coppice from juvenile plants of eucalypt clones pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
dissertacao_Felippe Coelho de Souza.pdf 652.8Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Dissertação

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account