Biblioteca Florestal
Digital

Avaliação microbiológica de amêndoas de castanha-do-brasil em usinas de beneficiamento no Acre

Show simple item record

dc.contributor.author Souza, Joana Maria Leite de
dc.contributor.author Cartaxo, Cleisa Brasil da Cunha
dc.contributor.author Leite, Felicia Maria Nogueira
dc.contributor.author Reis, Fabiana Silva
dc.date.accessioned 2014-03-19T19:06:40Z
dc.date.available 2014-03-19T19:06:40Z
dc.date.issued 2004-01
dc.identifier.citation SOUZA, J. M. L. et al. Avaliação microbiológica de amêndoas de castanha-do-brasil em usinas de beneficiamento no Acre. Rio Branco: Embrapa Acre, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 39. 2004. 24 p. pt_BR
dc.identifier.issn 0101-5516
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/7471
dc.description O conteúdo é apresentado em: Introdução; Material e Métodos; Resultados e Discussão; Considerações gerais; Referências bibliográficas. pt_BR
dc.description.abstract Nativa da Região Amazônica, a castanheira (Bertholletia excelsa H.B.K.) é considerada uma das maiores riquezas nos estados que formam a Amazônia Brasileira. Um dos grandes problemas na conservação da castanha-do-brasil deve-se ao crescimento de fungos produtores de aflatoxinas e bactérias patogênicas, por causa das condições de umidade relativa e temperatura elevadas a que é submetida desde o momento da queda do ouriço. Assim, buscou-se identificar, em indústrias de processamento de castanha- do-brasil no Acre, os microrganismos responsáveis pela qualidade sanitária, especialmente os do grupo coliformes, bactérias mesáfilas, bolores e leveduras. Foram coletadas amostras nos meses de agosto de 2001 a maio de 2002, em cinco etapas do processamento. As análises para coliformes totais e a 45°C foram realizadas pela técnica do número mais provável (NMP), e a identificação dos fungos, segundo metodologia proposta por Pitt & Hoking (1997). O NMP para coliformes totais variou de 2,3 x 101 UFC/g a acima de 2,4 x 101 UFC/g, em todas as etapas analisadas. Quanto aos coliformes a 45°C, as contagens foram quase sempre acima de 2,4 x 103 UFC/g, ultrapassando o limite de 101 UFC/g estabelecido para o produto, pela Resolução RDC n° 12(21112001 - MS). Apenas nas amostras provenientes dos armazéns das indústrias foram encontrados valores menores que 3 UFC/g, indicando que o elevado índice de contaminação observado nas demais etapas foi resultado de manipulação inadequada do produto na indústria. A pesquisa de mesófilas indicou contaminações de até 10,53 x 10 1 UFC/g. A ocorrência de leveduras (1,23 x 10 a 7,2 x 10 UFC/g) e fungos viáveis (1,27 x 0 a 6,45 x 102 UFC/g) foi considerada elevada, sendo Aspergilius tiavus, A. niger e Peniciflium sp. as espécies mais freqüentes. A contaminação ambiental e do produto variou de uma etapa para outra dentro da indústria. Processos de higienização mal conduzidos e indícios de falhas no processamento ou na estocagem foram os fatores que mais contribuíram para aumentar os níveis de contaminação do produto. pt_BR
dc.format 24 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher EMBRAPA Acre pt_BR
dc.relation.ispartofseries Boletim de pesquisa e desenvolvimento;39
dc.subject.classification Ciências Florestais::Tecnologia e utilização de produtos florestais::Tecnologia de produtos florestais não madeireiros pt_BR
dc.title Avaliação microbiológica de amêndoas de castanha-do-brasil em usinas de beneficiamento no Acre pt_BR
dc.type Boletim Técnico pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
39_Avaliacao_Mi ... Beneficiamento_no_Acre.pdf 972.2Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Boletim de pesquisa e desenvolvimento

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account