Biblioteca Florestal
Digital

Controle integrado das espécies invasoras assa-peixe e casadinha em pastagens cultivadas de Paragominas, nordeste paraense

Show simple item record

dc.contributor.author Dutra, Saturnino
dc.contributor.author Souza Filho, Antonio Pedro da Silva
dc.contributor.author Mascarenhas, Raimundo Evandro Barbosa
dc.date.accessioned 2013-10-08T12:45:58Z
dc.date.available 2013-10-08T12:45:58Z
dc.date.issued 2002
dc.identifier.citation DUTRA, S.; SOUZA FILHO, A.P.S.; MASCARENHAS, R.E.B. Controle integrado das espécies invasoras assa-peixe e casadinha em pastagens cultivadas de Paragominas, nordeste paraense. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 13. 2002. 32 p. pt_BR
dc.identifier.issn 1676-5265
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/4305
dc.description Apresentação do conteúdo: Resumo; Abstract; Introdução; Material e Métodos; Resultados e Discussão; Conclusões. pt_BR
dc.description.abstract A ocorrência de grande diversidade e interferências de plantas invasoras nas pastagens cultivadas têm contribuído significativamente para diminuir a sustentabilidade dos sistemas pecuários regionais. Com objetivos de testar métodos integrados de controle das espécies invasoras assa-peixe (Vernonia scabra Pers.) e casadinha (Eupatorium squalidum DC.) em pastagens cultivadas, foram conduzidos dois experimentos nas fazendas Florida e Beira-Rio, região de Paragominas, nordeste paraense. O delineamento experimental foi de blocos ao acaso com quinze tratamentos arranjados em parcelas subdivididas. Nas parcelas, foram testados métodos mecânicos e físicos de controle: roçagem manual e roçagem manual com queima e gradagem. Nas subparcelas, foram testados métodos químicos e culturais, associados aos métodos físicos de controle de invasoras: 0%, 1 %, 2% e 3% de herbicida seletivo (HS); e 2% de HS com adubação fosfatada. As variáveis de resposta medidas foram a disponibilidade forragem e de invasoras (t de matéria seca/ha) e a composição botânica (% gramínea, % invasoras) nos períodos chuvoso e seco. Com os resultados, verificou-se, para o controle da invasora assa-peixe (experimento 1), que os métodos físicos de controle e a interação métodos x níveis de herbicidas não apresentaram diferenças estatísticas (P<0,05), entretanto, os efeitos entre níveis de herbicidas foram significativos em todas as variáveis de resposta analisadas (P < 0,01), com melhores respostas para o nível de 2,2% de herbicida. Para o controle da invasora casadinha (experimento 2), os resultados indicaram que as fontes de variação foram significativas em todas variáveis de resposta estudadas (P<0,01), com melhores respostas para o método de roçagem manual, associado ao nível de 2,7% de herbicida. Pelos resultados, concluiu-se que os métodos tradicionais de controle baseados somente em métodos físicos não controlam efetivamente as plantas invasoras estudadas. Os métodos integrados baseados na roçagem manual, associado as doses de 2,2% e 2,7% de herbicida seletivo foram mais efetivos para controle das espécies invasoras assa-peixe e casadinha, respectivamente. pt_BR
dc.format 32 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Embrapa Amazônia Oriental pt_BR
dc.relation.ispartofseries Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento;13
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Proteção florestal: pragas e doenças pt_BR
dc.title Controle integrado das espécies invasoras assa-peixe e casadinha em pastagens cultivadas de Paragominas, nordeste paraense pt_BR
dc.type Boletim Técnico pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
13_Controle-Int ... inas-Nordeste-Paraense.pdf 724.4Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Boletim técnico

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account