Biblioteca Florestal
Digital

Influência do Potássio no Desenvolvimento da Seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.)

Show simple item record

dc.contributor.author Carvalho, Antonio Cláudio Almeida de
dc.contributor.author Alves, Raimundo Nonato Brabo
dc.contributor.author Melém Júnior, Nagib Jorge
dc.date.accessioned 2013-08-12T13:42:10Z
dc.date.available 2013-08-12T13:42:10Z
dc.date.issued 2004
dc.identifier.citation CARVALHO, A. C. A.; ALVES, R. N. B.; MELÉM JÚNIOR, N. J. Influência do Potássio no Desenvolvimento da Seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.). Macapá: Embrapa Amapá, Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento, n. 69. 2004. 31p. pt_BR
dc.identifier.issn 1517-4867
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/3742
dc.description.abstract O conhecimento sobre as exigências nutricionais da seringueira nas fases viveiro, desenvolvimento e produção, ainda é incipiente. A carência de resultados de pesquisa indicando o efeito dos nutrientes sobre o crescimento da seringueira em fase de desenvolvimento e a produção, tem contribuído para a não utilização de uma correta adubação na maioria dos seringais de cultivo na Amazônia. Num ensaio instalado em 1986, em um Latossolo Amarelo de textura argilosa, com baixa fertilidade natural e elevada saturação de alumínio, foram estudados quatro níveis de adubação potássica durante sete anos após o plantio das seringueiras. O referido experimento encontra-se localizado no município de Mazagão-AP, nas coordenadas de 00°06'54''S de latitude e 51°17'22''W.G. de longitude, que apresenta temperatura média de anual de 27°C e uma pluviosidade média anual de 2700 mm, cuja distribuição de chuva concentra-se num período de seis meses, englobando os meses de Janeiro a Junho. Conforme definição de EMBRAPA (1979), a região onde fica localizado o município de Mazagão-AP, é considerada área de “escape” ao ataque epidêmico do Microcyclus ulei, ou seja, a região apresenta déficit hídrico anual entre 250 e 350 mm, distribuídos num período de seis meses e que a queda natural das folhas das seringueiras ocorre nos meses intermediários desse período. As regiões tidas como “escape” são hoje as únicas áreas recomendadas para o cultivo racional de seringueira na Amazônia. Considerando que os climas tipo Ami e Awi, que apresentam período seco definido são predominantes no Estado do Amapá e que os seringais atualmente existentes apresentam níveis satisfatórios de produtividade, acreditamos que existe potencial para expansão dos seringais de cultivo no estado. Para tanto, é imperativo que sejam continuados estudos visando a melhoria das práticas agronômicas dessa cultura amazônica. pt_BR
dc.format 31 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Embrapa Amapá pt_BR
dc.relation.ispartofseries Boletim de Pesquisa e Desenvolvimento;Número 69
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Solos e nutrição florestal pt_BR
dc.title Influência do Potássio no Desenvolvimento da Seringueira (Hevea brasiliensis Muell. Arg.) pt_BR
dc.type Boletim Técnico pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
69_Influência-d ... vimento-da-Seringueira.pdf 471.0Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Boletim Técnico

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account