Biblioteca Florestal
Digital

Composição florística e estrutura de vegetação colonizadora de clareiras em floresta Atlântica sob manejo sustentável

Show simple item record

dc.contributor.advisor Ribeiro, Carlos Antonio Alvares Soares pt_BR
dc.contributor.author Faria, Vicente de Paulo pt_BR
dc.date 2007-12-03 00:00:00.0 pt_BR
dc.date.accessioned 2013-01-22T10:30:34Z
dc.date.available 2013-01-22T10:30:34Z
dc.date.issued 2001 pt_BR
dc.identifier.citation Faria, Vicente de Paulo. Composição florística e estrutura de vegetação colonizadora de clareiras em floresta Atlântica sob manejo sustentável. Viçosa : UFV, 2001. 119p. : il. (Dissertação - Mestrado) - Universidade Federal de Viçosa. Orientador: Carlos Antonio Álvares Soares Ribeiro. T 634.9182 F224c 2001 pt_BR
dc.identifier.other 97946 pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/2266
dc.description.abstract Este estudo foi desenvolvido em área de Floresta Atlântica, classificada como floresta Ombrófila Densa, localizada no município de Porto Seguro, Bahia. Os objetivos deste trabalho foram: caracterizar as estruturas fitossociológica e florística em clareiras e em área não explorada da mesma floresta; mapear as clareiras originadas por atividades de exploração, a fim de obter a intensidade de corte e caracterizar as espécies colhidas; verificar a influência do tamanho das clareiras sobre a composição florística; avaliar se os índices de regeneração dessas espécies no interior das clareiras são capazes de garantir a reposição do estoque retirado e recomendar tratamentos silviculturais pertinentes. Os dados foram coletados em área não-explorada, utilizando-se 35 parcelas amostrais de 20 m x 50 m, instaladas sistematicamente. O nível de abordagem utilizado, DAP maior ou igual 12,7 cm, é o exigido pelo IBAMA para elaboração de planos de manejo florestal visando a exploração madeireira. Nas clareiras utilizaram-se dois níveis de abordagem: nas parcelas de 2x 2 m, foram medidas todas as plantas com altura menor ou igual a 1,30 m e em toda a área da clareira mediram-se todos os indivíduos com altura maior que 1,30 m. Foram analisados dados de 35 parcelas de 20m x 50 m em área não explorada e 14 clareiras em talhão submetido à exploração florestal. Em termos de composição florística, as parcelas amostrais apresentaram 1.414 indivíduos distribuídos em 69 espécies, com 58 gêneros pertencentes a 30 famílias botânicas. Dentre as famílias amostradas, a Sapotaceae apresentou o maior número de indivíduos e a espécie de maior valor ecológico foi Myrcia sp. Nas clareiras detectou-se a presença de 1.821 indivíduos, distribuídos entre 135 espécies e 99 gêneros pertencentes a 44 famílias. Sapotaceae apresentou o maior número de indivíduos e entre as espécies de interesse Ocotea sp1 foi a mais representativa. Tendo em vista que as espécies de maior incidência nas clareiras são ecologicamente classificadas como secundárias iniciais, tardias e, às vezes, clímax, pode-se inferir que o ambiente por elas formado é benéfico a espécies de valor comercial que, em sua maioria, são assim classificadas. As clareiras com áreas inferiores a 200 m 2 foram consideradas de tamanho pequeno e não influenciaram significativamente na composição florística. Entre as espécies de interesse comercial Manilkara bella e Caryocar edule possuem sérias limitações em se tratando de regeneração e por isso merecem tratamentos silviculturais adequados, a fim de se evitar sua possível extinção. Na floresta não explorada verificou-se o predomínio de espécies secundárias iniciais e tardias. Nas clareiras, os níveis de ocorrência dessas espécies foram semelhantes aos anteriormente citados. No entanto, mudanças ambientais ocorridas em função do rompimento do dossel, proporcionaram o surgimento de um maior número de espécies pioneiras nesses locais, como era de se esperar. pt_BR
dc.description.abstract This study was carried out on Atlantic Forest area classified as Dense Rain Forest, and located at Porto Seguro County, Bahia. The proposed objectives were: to characterize the phytosociologic and floristic structures in clearings as well as in the unexplored area of the same forest; to map the clearings originated from exploration activities, in order to obtain the cut intensity and to characterize the harvested species; to verify the influence of the clearing sizes on floristic composition; and to evaluate if the regeneration indexes of those species inside the clearings are able to assuring the restoration of the removed stock as well as to recommend the pertinent silvicultural treatments. The data were collected at an unexplored area, by using 35 sample plots of 20 m x 50 m systematically installed. The approach level used (DAP larger or equal to 12.7 cm) is that required by IBAMA for elaboration of forest management plans aiming at wood exploitation. Two approach levels were used in the clearings: all plants at a height lower or equal to 1.30 m were measured in plots of 2 x 2 m, whereas all individuals with a height higher than 1.30 m were measured throughout the clearing area. Data of thirty five plots of 20 x 50 m in unexplored area as well as 14 clearings in stand submitted to forest exploitation were analyzed. Relatively to the floristic composition, the sample plots presented 1,414 individuals distributed into 69 species, with 58 genera belonging to 30 botanical families. Among the sampled families, Sapotaceae showed the highest number of individuals and the species with a highest ecological value was Myrcia sp. In clearings, the presence of 1,821 individuals distributed among 135 species and 99 genera belonging to 44 families was detected. Sapotaceae presented the highest number of individuals, and Ocotea sp1 was more representative among the interested species. Considering that the species with highest incidence in clearings are ecologically classified as secondary, initial, late and sometimes climax, it may be inferred that the environment they form is beneficial to those commercially-valued species that in its majority are classified as so. The clearings with areas inferior to 200 m 2 were considered as small-sized ones, and they did not significantly influence on floristic composition. Among the commercially-interesting species, Manilkara bella and Caryocar edule have serious limitations to regenerating and so they deserve appropriate silvicultural treatments in order to avoid their possible extinction. In unexplored forest, the prevalence of both secondary initial and late species was verified. In clearings, the occurrence levels of those species were similar to the ones previously mentioned. However, the environmental changes occurring as a function of canopy disruption provided the appearance of a higher number of pioneer species in those locals, as it was expected. en
dc.format.mimetype application/pdf pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.subject Mata Atlântica; Composição florística; Comunidades vegetais; Clareiras do dossel; pt_BR
dc.title Composição florística e estrutura de vegetação colonizadora de clareiras em floresta Atlântica sob manejo sustentável pt_BR
dc.title Floristic composition and structure of clearing-colonizing vegetation in atlantic forest under sustainable management en
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
Dissertaçao_Vicente-de-Paulo-Faria.PDF 752.5Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Dissertação

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account