Biblioteca Florestal
Digital

Dinâmica populacional e ecologia do forrageamento de Acromyrmex Mayr, 1865 (Hymenoptera: Formicidae)

Show simple item record

dc.contributor.advisor Pie, Marcio Roberto
dc.contributor.author Nickele, Mariane Aparecida
dc.date.accessioned 2016-07-27T18:16:30Z
dc.date.available 2016-07-27T18:16:30Z
dc.date.issued 2013-01-24
dc.identifier.citation NICKELE, M. A. Dinâmica populacional e ecologia do forrageamento de Acromyrmex Mayr, 1865 (Hymenoptera: Formicidae). 2013. 151 f. Tese (Doutorado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2013. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/18376
dc.description Tese de Doutorado defendida na Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.description.abstract A tribo Attini (Hymenoptera: Formicidae) compreende 14 gêneros de formigas que estão envolvidas em um mutualismo obrigatório com fungos. As formigas cortadeiras, Atta e Acromyrmex, são consideradas as principais pragas de florestas plantadas de Pinus e Eucalyptus, no entanto, na região sul do Brasil, as espécies de Acromyrmex são mais comuns. O objetivo geral deste estudo foi avaliar a dinâmica populacional de formigas cortadeiras do gênero Acromyrmex em plantios de Pinus taeda e estudar a ecologia do forrageamento dessas formigas. Realizou-se uma revisão sobre a tribo Attini, onde foram discutidas as principais características da agricultura, simbiose e história natural das formigas cultivadoras de fungos, bem como as direções futuras para as pesquisas sobre essas formigas. A dinâmica populacional de Acromyrmex crassispinus, espécie de formiga cortadeira mais comum na região sul do Brasil, foi estudada ao longo do tempo em um plantio de P. taeda. A densidade de ninhos aumentou gradativamente até o plantio completar 30 meses de idade, e sofreu uma redução quando o dossel da floresta começou a se fechar. A distribuição espacial de ninhos de A. crassispinus foi do tipo aleatória e as plantas de P. taeda não sofreram nenhum ataque de formigas cortadeiras durante todo o período de avaliação. Provavelmente a primeira revoada de uma colônia de A. crassispinus ocorre após o terceiro ano de idade dos ninhos. Foi avaliada também a atividade diária de forrageamento das espécies A. crassispinus e Acromyrmex subterraneus subterraneus. Essas espécies forragearam durante todo o dia e houve correlação significativa entre a atividade de forrageamento e as condições climáticas, de modo que essas formigas não forragearam em temperaturas abaixo de 10-11 °C e umidade relativa do ar abaixo de 40%. A divisão de tarefa durante o forrageamento de A. crassispinus e A. subterraneus subterraneus foi estudada em trilhas de comprimentos diferentes. Em trilhas curtas (1 m), as operárias frequentemente transportaram os fragmentos diretamente para o ninho, enquanto que em trilhas longas (acima de 10 m), a maioria das operárias transferiram os fragmentos para outras operárias. As espécies de Acromyrmex realizam a divisão de tarefas durante o forrageamento e o comprimento das trilhas tem efeitos marcantes no transporte sequencial. Quanto mais longe está o recurso coletado pelas operárias, maior é a frequência de ocorrência do transporte em cadeia. Além disso, os resultados desse estudo fornecem suporte à hipótese de que o comportamento de transferir os fragmentos das espécies de Acromyrmex ocorre devido ao efeito positivo na transferência de informação entre as operárias. Avaliou-se também o comportamento de operárias de A. crassispinus diante de bifurcações da trilha de forrageamento. Verificou-se que quanto maior o fluxo de operárias na trilha, menor é a percentagem de erro das operárias que retornam ao ninho com carga. A maioria das operárias trafegou pelo centro das trilhas de forrageamento e essas formigas ocuparam uma área maior da trilha e da bifurcação quando o fluxo de formigas era alto. Os resultados desta pesquisa fornecem subsídios para a otimização do controle das espécies de Acromyrmex e auxilia no melhor entendimento das estratégias de forrageamento dessas formigas cortadeiras. pt_BR
dc.description.abstract The tribe Attini (Hymenoptera: Formicidae) comprises 14 ant genera, which are engaged in an obligate mutualism with fungi. Leaf-cutting ants, Atta and Acromyrmex, are considered the most important forest pests in Pinus and Eucalyptus plantations. In southern Brazil, Acromyrmex species are the most common leaf-cutting ants. This study aimed to assess the population dynamics of Acromyrmex species in Pinus taeda plantations and to study the foraging ecology of these species. Agriculture, symbiosis and natural history traits of fungus-farming ants are reviewed, as well as future research directions. Population dynamics of Acromyrmex crassispinus, the most common leaf-cutting ant species in southern Brazil, has been studied over time, in P. taeda plantations. The nest density gradually increased until the planting completed 30 months, and decreased when the forest canopy began to close. The spatial distribution of nests was random and P. taeda plants were not attacked by A. crassispinus throughout the evaluation period. Probably the first nuptial flight of an A. crassispinus colony occurs when it is three years old. The daily foraging activity of A. crassispinus and Acromyrmex subterraneus subterraneus was studied. These species showed foraging activity all day long and there was significant correlation between ant foraging activity and weather conditions, such that foraging ceased at temperatures below 10-11°C and relative humidity of the air below 40%. Task partitioning during foraging was studied for A. crassispinus and A. subterraneus subterraneus on trails of different lengths. On short trails (1 m), workers frequently transported the fragments directly to the nest, whereas on long trails (more than 10 m) most workers transferred the fragments to other workers. Acromyrmex species accomplish division of labor during foraging and the trail lengths have marked effects in sequential transport. The farther is the resource collected by workers, the higher is the frequency of occurrence of the transport chain. Furthermore, the results of this study provide support to the hypothesis that the behavioral response of transferring fragments in Acromyrmex species would have been selected for because of its positive effect on the information flow between workers. The behavior of A. crassispinus workers was also studied in bifurcations along foraging trails. The higher is the worker flow, the lower is the error rate of workers that returned to the nest with load. Most workers walked in the central part of the foraging trails and these ants occupied a larger area of the foraging trail and bifurcation when the ant flow was high. The results of this research provide information for the optimization of Acromyrmex species control and help in a better understanding of the foraging strategies of these leaf-cutting ants. pt_BR
dc.format 151 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Proteção florestal: pragas e doenças pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Meio ambiente::Ecologia e ecossistemas florestais pt_BR
dc.title Dinâmica populacional e ecologia do forrageamento de Acromyrmex Mayr, 1865 (Hymenoptera: Formicidae) pt_BR
dc.type Tese pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
tese_Mariane Aparecida Nickele.pdf 2.385Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account