Biblioteca Florestal
Digital

Ensaio de taxa de secagem e escore de defeitos para a predição da qualidade da secagem convencional da madeira de Eucalyptus sp. – Parte 2

Show simple item record

dc.contributor.author Batista, Djeison Cesar
dc.contributor.author Klitzke, Ricardo Jorge
dc.contributor.author Rocha, Márcio Pereira da
dc.contributor.author Batista, Tharcia Ribeiro
dc.date.accessioned 2016-06-23T19:31:45Z
dc.date.available 2016-06-23T19:31:45Z
dc.date.issued 2016
dc.identifier.citation BATISTA, D. C. et al. Ensaio de taxa de secagem e escore de defeitos para a predição da qualidade da secagem convencional da madeira de Eucalyptus sp. – Parte 2. Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 135-141. 2016. pt_BR
dc.identifier.issn 2179-8087
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17873
dc.description.abstract Este trabalho é a continuação da pesquisa de Klitzke & Batista (2010), e teve como objetivo principal avaliar se a qualidade da madeira na metodologia da secagem drástica a 100 °C corresponde àquela da secagem convencional. Utilizou-se madeira de 11 anos de Eucalyptus saligna, Eucalyptus grandis e Eucalyptus dunnii, que foram secas conjuntamente em uma câmara‐piloto convencional, realizando-se três repetições. Os defeitos de secagem avaliados foram rachaduras de superfície e de topo, encanoamento e colapso, dos quais foi produzido um escore médio por espécie, que foi comparado com o escore de defeitos do ensaio de secagem drástica, e também com a densidade básica e a contração volumétrica total da madeira. Eucalyptus grandis e Eucalyptus saligna tiveram a melhor qualidade de secagem. Foi rejeitada a hipótese de se poder utilizar o escore de defeitos do ensaio de secagem drástica como forma de prever a qualidade da secagem convencional das espécies estudadas. pt_BR
dc.description.abstract This research is a continuation of Klitzke & Batista (2010) work. The main objective was to assess whether the wood quality in the methodology of drastic drying test at 100 °C corresponds to that of conventional kiln drying. It was used 11 years old Eucalyptus saligna, Eucalyptus grandis and Eucalyptus dunnii woods, which were kiln dried together in the same batch in a pilot scale kiln, doing three repetitions. Drying defects evaluated were end and surface cracks, cupping and collapse, which generated a mean score by species, which was compared to the score of defects of the drastic drying test, as well as to the basic density and the total volumetric shrinkage. Eucalyptus grandis and Eucalyptus saligna had higher wood quality in conventional drying than Eucalyptus dunnii. It was rejected the hypothesis of using the score of defects in drastic drying test as a way of predicting the quality of conventional kiln drying. pt_BR
dc.format 7 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Instituto de Florestas, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro pt_BR
dc.relation.ispartofseries Floresta e Ambiente:v.23,n.1;
dc.subject.classification Ciências Florestais::Tecnologia e utilização de produtos florestais::Relações água-madeira e secagem pt_BR
dc.title Ensaio de taxa de secagem e escore de defeitos para a predição da qualidade da secagem convencional da madeira de Eucalyptus sp. – Parte 2 pt_BR
dc.title Tests of drying rate and scoring of defects for the prediction of conventional kiln drying quality of Eucalyptus sp. wood – Part 2 pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Revista_Florest ... e_v23_n1_p135-141_2016.pdf 1.149Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account