Biblioteca Florestal
Digital

Variações fenológicas de árvores da Floresta Atlântica, em diferentes condições de solo

Show simple item record

dc.contributor.advisor Marques, Márcia C. M.
dc.contributor.author Cardoso, Fernanda Cristina Gil
dc.date.accessioned 2016-06-14T12:25:45Z
dc.date.available 2016-06-14T12:25:45Z
dc.date.issued 2009-03-10
dc.identifier.citation CARDOSO, F. C. G. Variações fenológicas de árvores da Floresta Atlântica, em diferentes condições de solo. 2009. 70 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2009. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17664
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.description.abstract A grande variedade de padrões fenológicos nas florestas tropicais não deve ser explicada apenas pelos fatores climáticos. Considerando-se que a disponibilidade de água no solo influencia o estado hídrico das plantas e o metabolismo total, é esperado que as condições do solo sejam importantes na regulação das atividades reprodutivas e vegetativas das plantas ao longo do tempo. O crescimento também depende de fatores como clima, comprimento do dia e características hídricas e nutricionais do solo. Foram realizadas observações fenológicas quinzenais (brotação, queda foliar, floração e frutificação), pelo período de um ano, em 180 árvores de três espécies arbóreas (Alchornea glandulosa, Senna multijuga e Cytharexylum myrianthum) da Floresta Atlântica no sul do Brasil. No mesmo período, foram também realizadas leituras quinzenais de crescimento em diâmetro do tronco utilizando cintas dendrométricas em duas espécies (S. multijuga e C. myrianthum). Foi investigado se os padrões fenológicos e o crescimento podem ser distintos em dois tipos de solo, contrastando nos teores de umidade e nutrientes: Gleissolo (mais úmido e pobre em nutrientes) e Cambissolo (drenado e teores médios de nutrientes). Os padrões fenológicos de cada espécie foram semelhantes e marcados por sazonalidade nas fenofases, nos dois tipos de solo. No entanto houve diferenças na freqüência, pico e intensidade das fenofases, nos dois tipos de solo. As fenofases foram fortemente correlacionadas (0,43 < rs < 0,93) com os fatores climáticos (temperatura média e precipitação) e o comprimento do dia, mas fracamente (0,42 < rs < 0,66) com a profundidade do lençol freático. O crescimento apresentou correlações significativas principalmente com as fenofases brotação e frutificação (0,44 < rs < 0,82). A média do incremento acumulado de indivíduos de Cytharexylum myrianthum foi menor no Gleissolo que no Cambissolo, enquanto que para Senna multijuga não houve diferenças. Houve fortes correlações entre crescimento do tronco e todas as variáveis climáticas, mas as relações foram mais fortes com comprimento do dia (0,86 < rs < 0,93), precipitação (0,82 < rs < 0,93) e temperatura média (0,80 < rs < 0,90). Estes resultados demonstram, pela primeira vez, que as variações das características do solo são importantes fatores determinando os padrões fenológicos e crescimento de espécies arbóreas de florestas não-sazonais. pt_BR
dc.description.abstract The great variety of phenological patterns in tropical forests must not be explained only by climatic factors. Considering that soil water availability influences plant water status and total metabolism, soil conditions are also expected to be important on the regulation of plant reproductive and vegetative activities over time. Diameter growth also depends on factors such as climate, day lenght and soil factors. Phenological observations (flushing, leaf fall, flowering and fruiting) were performed every 15 days over one year for 180 trees of three tree species (Alchornea glandulosa, Senna multijuga and Cytharexylum myrianthum) in the Atlantic Forest in Southern Brazil. In this same period, data for diameter growth were collected every 15 days with fixed dendrometer bands in two of the three species (S. multijuga e C. myrianthum). We investigated if phenological patterns and diameter growth can be distinct in two types of soil with contrasting humidity and nutritional values: Gleisoil (more humidity and poor in nutrients) and Cambisoil (drier and intermediate nutrient values). Each species’ phenological patterns were alike and marked by seasonality on the phenophases, in both types of soil. Phenophases were strongly correlated (0.43 < rs < 0.93) with climate variables (mean temperature and rainfall) and day lenght, but, the correlations were weak (0.42 <rs < 0.66) with the water table depth. Diameter growth was significantly correlated with flushing and fruiting (0.44 < rs < 0.82). Mean cumulative growth for C. myrianthum was lower in the Gleisoil area than in Cambisoil, while there was no difference in growth between soils for S. multijuga. There were strong correlations between diameter growth and all the climatic variables, but they were stronger with day length (0.86 < rs < 0.93), rainfall (0.82 < rs < 0.93) and mean temperature (0.80 < rs < 0.90). These results show, for the first time, that variations in the soil characteristics are important factors affecting phenological patterns and growth in tropical tree species. pt_BR
dc.format 70 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Solos e nutrição florestal pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Meio ambiente::Ecologia e ecossistemas florestais pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Dendrologia e fitossociologia pt_BR
dc.title Variações fenológicas de árvores da Floresta Atlântica, em diferentes condições de solo pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
dissertacao_Fernanda Cristina Gil Cardoso.pdf 987.3Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account