Biblioteca Florestal
Digital

Efeitos do manejo na estrutura genética de populações de caixeta (Tabebuia cassinoides)

Show simple item record

dc.contributor.author Sebbenn, Alexandre Magno
dc.contributor.author Seoane, Carlos Eduardo Sícoli
dc.contributor.author Kageyama, Paulo Yoshio
dc.contributor.author Vencovsky, Roland
dc.date.accessioned 2016-04-05T14:14:37Z
dc.date.available 2016-04-05T14:14:37Z
dc.date.issued 2000-12
dc.identifier.citation SEBBENN, A. M. et al. Efeitos do manejo na estrutura genética de populações de caixeta (Tabebuia cassinoides). Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 58, p. 127-143, dez. 2000. pt_BR
dc.identifier.issn 2318-1222
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17415
dc.description.abstract This research aims to study the effects of the traditional management of Tabebuia cassinoides (Bignoneaceae) on the intrapopulation genetic variability and the mating system of a managed population at the Iguape, SP and a natural population at the Ecological Station of Jureia, Iguape, SP. The sampling in natural and managed populations included 11 and 10 maternal families with 10 individuals per family. The mean fixation index within populations (Fis) and the fixation index over all populations (Fit), were positive, high and significant (0.259 and 0.282, respectively), suggesting a relatively high inbreeding in the populations. The genetic divergence between populations (Fst)was low for the mean over loci (0.031), revealing hat approximately 97% of the genetic variability was distributed within populations. The natural population had alleles that were absent in the managed population. For the natural and managed populations the following estimates were obtained: observed heterozygosity (Ho), 0.253 (0.041) and 0.174 (0.036); genetic diversity (He), 0.314 (0.051) and 0.266 (0.049); percentage of polymorphic loci (P), 84.6% and 76.9%; fixation index (f), 0.192 (0.069) and 0.346 (0.072); multilocus outcrossing rate (tm), 0.895 (0.048) and 0.783 (0.104); self-pollinization rate (S), 0.105 and 0.217, respectively. Results indicated that forestry management in this case lead to a loss of rare aleles, a reduction in heterozigosity, genetic diversity and percentage of polymorphic loci, an increase in the fixation index and a tendency towards an increase in the self-pollinization rate in the managed population. Finally, evaluations of the effective population size indicated that for the management of this forest to be genetically sustainable, at least 60 reproductive individuals should be kept per ha. pt_BR
dc.description.abstract O objetivo deste trabalho foi estudar os efeitos do manejo tradicional de Tabebuia cassinoides (Bignoneaceae) sobre a variabilidade genética intrapopulacional e o sistema de reprodução da espécie. Para tanto, comparou-se a partir da eletroforese de isoenzimas, a variabilidade genética e o sistema de cruzamento em uma população manejada, no município de Iguape, SP, e uma população natural (não manejada), na Estação Ecológica da Juréia, Iguape, SP. A amostragem na população natural e manejada incluiu 11 e 10 famílias maternas, respectivamente, com 10 indivíduos por família. O índice médio de fixação de alelos dentro de populações (Fs) e para o conjunto das populações (Fit), apresentaram valores positivos, altos e significativos (0,259 e 0,282), sugerindo endogamia alta nas populações. A divergência genética entre populações (Fst) foi baixa para a média dos locos (0,031), revelando que aproximadamente 97% da variabilidade genética encontra-se distribuída dentro das populações. Dentro das populações, foram observados os seguintes resultados: a população natural apresentou alelos que estavam ausentes na população manejada. Na população natural e manejada, a heterozigosidade média observada (Ho) foi de 0,253 (0,041) e 0,174 (0,036), a diversidade gênica média (he) de 0,314 (0,051) e 0,266 (0,049), a porcentagem de locos polimórficos (P) de 84,6% e e 76,9%, o índice de fixação médio (f) de 0,192 (0,069) e 0,346 (0,072), a taxa de cruzamento multilocos (tm) de 0,895 (0,048) e 0,783 (0,104) e a taxa de autofecundação (S) de 0,105 e 0,217, respectivamente. Estes resultados mostram que o manejo florestal utilizado levou a uma perda de alelos raros, redução na heterozigosidade, diversidade gênica e porcentagem de locos polimórficos, aumento no índice de fixação e a tendência em aumento na taxa de autofecundação na população manejada. Finalmente, avaliações do tamanho efetivo populacional indicaram que, para o manejo florestal ser geneticamente sustentável, deve-se manter pelo menos 60 plantas reprodutivas por hectare. pt_BR
dc.format 17 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais pt_BR
dc.relation.ispartofseries Scientia Forestalis:,n.58;
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Genética e melhoramento florestal pt_BR
dc.title Efeitos do manejo na estrutura genética de populações de caixeta (Tabebuia cassinoides) pt_BR
dc.title Effects of the management on the genetic structure of caixeta (Tabebuia cassinoides) populations pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Scientia_Forestalis_n58_p127-143_2000.pdf 105.3Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account