Biblioteca Florestal
Digital

Celulose de buriti (Mauritia vinifera Martius)

Show simple item record

dc.contributor.author Pereira, Sanatiel de Jesus
dc.contributor.author Muñiz, Graciela Inês Bolzon de
dc.contributor.author Kaminski, Moacir
dc.contributor.author Klock, Umberto
dc.contributor.author Nisgoski, Silvana
dc.contributor.author Fabrowski, Fernando José
dc.date.accessioned 2016-03-30T12:49:00Z
dc.date.available 2016-03-30T12:49:00Z
dc.date.issued 2003-06
dc.identifier.citation PEREIRA, S. J. et al. Celulose de buriti (Mauritia vinifera Martius). Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 63, p. 202-213, jun. 2003. pt_BR
dc.identifier.issn 2318-1222
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17318
dc.description.abstract Este trabalho trata da avaliação das propriedades da polpa celulósica obtida a partir das palhas provenientes das folhas da palmácea Mauritia vinifera Martius pelo processo kraft, tendo em vista, a sua utilização como matéria-prima alternativa na produção de papel. O álcali ativo foi conduzido em teores de 8,32 a 11,68%; a temperatura máxima variou de 157 a 174 °C; e o tempo na temperatura de 13 a 47 minutos. Para a sulfidez e relação licor / palha foram estabelecidos valores constantes de 20% e 6:1, respectivamente. As pastas foram submetidas a refinações, em moinho Jokro, conduzidas em tempos de 25, 50 e 75 minutos. Embora as fibras não apresentassem, em função das suas características morfológicas, bons coeficientes de flexibilidade e índice de enfeltramento, foram obtidos bons resultados em todas as suas propriedades físico-mecânicas, utilizando um refino adequado. Os valores das propriedades físico-mecânicas, em geral, aumentaram com o tempo de refino, observando-se que esta melhoria das propriedades foi causada pelo aumento da flexibilidade das fibras e das ligações entre fibras. M. vinifera apresentou valor máximo de rendimento de 66,46%, bastante alto devido, principalmente, aos altos teores de celulose (69,41%) e pentosanas (16,10%) presentes nesta palha. Pelos resultados obtidos esta espécie pode apresentar-se como fonte alternativa não arbórea de matéria-prima para a produção de celulose kraft. pt_BR
dc.description.abstract This work is about buriti kraft pulp evaluation to be used as raw material for paper production. The active alkali varied from 8,32 to 11,68 percent, the maximum temperature from 157 to 174 °C and the time at maximum temperature from 13 to 47 minutes. It was set a constant value of 20% for the sulfidity and a 6:1 liquor / straw ratio. The pulp was refined in Jokro mill, in times of 25, 50 and 75 minutes. Although the morphological characteristics of the fibers of this palm did not provide good flexibility coefficient and felting index, good results were obtained for all physical-mechanical properties, using an appropriate refine. In general, the physicalmechanical properties values increased with the refining time, being these improvements due to the increase of the fibers flexibility and inter fiber bonding. Mauritia vinifera presented a maximum yield of 66,46%, a high value, mainly due to its high cellulose content (69,41%) and pentosans content (16,10%). The results indicate that this specie can be used as non-wood alternative source of raw material for kraft pulp production. pt_BR
dc.format 12 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais pt_BR
dc.relation.ispartofseries Scientia Forestalis:,n.63;
dc.subject.classification Ciências Florestais::Tecnologia e utilização de produtos florestais::Tecnologia de celulose e papel pt_BR
dc.title Celulose de buriti (Mauritia vinifera Martius) pt_BR
dc.title Buriti (Mauritia vinifera Martius) pulp pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Scientia_Forestalis_n63_p202-213_2003.pdf 142.9Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account