Biblioteca Florestal
Digital

Organogênese direta de Pinus taeda L.

Show simple item record

dc.contributor.advisor Ribas, Luciana Lopes Fortes
dc.contributor.author Cézar, Tatiana Mazon
dc.date.accessioned 2016-03-16T12:59:24Z
dc.date.available 2016-03-16T12:59:24Z
dc.date.issued 2011-07-06
dc.identifier.citation CEZAR, T. M. Organogênese direta de Pinus taeda L. 2011. 83 f. Dissertação (Mestrado em Botânica) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2011. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17193
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.description.abstract O objetivo deste trabalho foi estabelecer um protocolo de micropropagação para Pinus taeda, pelas técnicas de organogênese direta e multiplicação de gemas axilares. Sementes de famílias selecionadas (F27 e B05) e de pomar comercial, fornecidas pela empresa Battistella Florestal (Rio Negrinho – SC) foram submetidas a tratamento de estratificação (5°C  1°C durante 25 dias) para a superação da dormência. Brotações apicais obtidas de plântulas com cinco ou dez dias de germinação foram as fontes de explantes. Para a indução da formação de brotações adventícias e/ou axilares, foram utilizados meio de cultura WV5 com 0, 11, 22 ou 44 M de 6-benzilaminopurina (BAP) combinada com 0,05 M de ácido naftaleno acético (ANA) e meio de cultura WPM com 11 a 44,0 M de BAP e 0; 0,5 ou 0,75 M de ANA durante 14 dias, e subcultivo para meio sem reguladores e WPM. Para a técnica de multiplicação de brotações axilares, utilizaram-se brotações apicais (0,5 a 2,0 cm de comprimento) e segmentos nodais (1,0 a 4,0 cm de comprimento), em meios de cultura WV5 e GDm, acrescidos de concentrações de 0,1 à 4,0 M de BAP, e cultivo durante quatro e oito semanas. Brotações de 1,5 cm de comprimento foram submetidas à indução ao enraizamento, por nove dias em meios GDm/2, WV5/2, WV3/2 ou em ágar-água, com 2,68 M de ANA e 0,44 M de BAP seguida de subcultivo em meio de cultura sem reguladores. A aclimatização de mudas foi feita diretamente em casa de vegetação ou com período prévio em sala de crescimento. Os melhores resultados para a indução de brotações múltiplas foram obtidos com explantes de cinco dias de idade, cultivados em meio de cultura WV5, 44,0 M de BAP e 0,05 M de ANA, obtendo-se 50% de explantes com brotações e número médio de 4,8 brotações por explante. Para a multiplicação de gemas axilares, segmentos nodais de 1,0 cm de comprimento, inoculados em meio WV5 contendo 2,5 M de BAP foram os mais eficientes, com 90% de explantes com brotações e 4,0 brotações por explante em média. Com brotações apicais, observou- se maior porcentagem de alongamento (286,5%) em meio WV5 sem reguladores, com explantes de 0,5 cm de comprimento. A melhor duração do subcultivo foi de oito semanas. O genótipo influenciou os resultados de germinação, indução e multiplicação de brotações, sendo que as melhores respostas ocorreram com a família F27, seguido da B05 e genótipos do pomar comercial. O meio de cultura WV5 permitiu a manutenção prolongada das culturas in vitro, as quais apresentaram vigor durante dois anos. Para indução de raízes, recomenda-se a formulação de ágar- água, acrescida de 2,68 M de ANA e 0,44 M de BAP durante nove dias, seguida de transferência para meio GDm/2, sem reguladores para o desenvolvimento de raízes (55,6% de enraizamento). A sobrevivência das mudas aclimatizadas foi de 85% após 40 dias, sendo os 20 primeiros dias em sala de crescimento e os dias posteriores em casa de vegetação. Concluiu-se que foi estabelecido um protocolo de micropropagação para P. taeda. pt_BR
dc.description.abstract The aim of this study was to establish a micropropagation protocol for Pinus taeda through direct organogenesis and axillary bud multiplication. Seeds of selected families (F27 and B05) and of commercial orchards were obtained from Battistella Florestal Company (Rio Negrinho – SC) and stratified (5°C  1°C for 25 days) to overcome dormancy. Apical shoots from five or ten day old seedlings were the explant source. Culture media WV5 with addition of 0, 11 22 ou 44 M 6-benzylaminopurine (BAP) combined with 0.05 M naphthalene acetic acid (NAA), and culture media WPM with addition of 11 to 44 M BAP and 0; 0.5 or 0.75 M NAA were used for the induction of adventitious and/or axillary shoot formation, during 14 days, followed by subculture in growth regulator-free culture media. Multiplication of axillary shoots was conducted using apical shoots (0.5 to 2.0 cm long) and nodal segments (1.0 to 4.0 cm long), WV5 or GDm culture media, BAP concentrations ranging from 0.1 to 4.0 M, and culture period of four or eight weeks. Shoots (1.5 cm long) were submitted to root induction for nine days in GDm/2, WV5/2, WV3/2 or water-agar medium containing 2.68 M NAA and 0.44 M BAP, followed by subculture on culture media without regulators. Acclimatization of rooted shoots was conducted directly in greenhouse or with a previous period in the growth room. Best results for induction of shoots were verified for five day old explants, cultivated on WV5 culture media, with 44.0 M BAP and 0.05 M NAA, showing 50% of shoot formation and an average of 4.8 shoots per explant. For multiplication of axillary buds, nodal segments 1.0 cm long, inoculated in WV5 media containing 2.5 M BAP were the most efficient, showing 90% of shoot formation and an average of 4.0 shoots per explant. With apical shoots 0.5 cm long a higher shoot elongation (286.5%) was observed in WV5 culture media without growth regulator. The best subculture period was eight weeks. The genotype affected the results of germination, shoot induction and multiplication, and the best responses were obtained for family F27, followed by B05 and commercial orchard genotypes. WV5 culture media allowed prolonged and healthy in vitro culture for two years. For root induction, it is suggested to use water-agar formulation, with 2.68 M NAA and 0.44 M BAP for nine days, followed by transfer to GDm/2 medium without regulator for the root development (55.6% of rooting). The rooted shoots showed 85% of survival after 40 days, the first 20 days in the growth room and the next days in the greenhouse. It can be concluded that a micropropagation protocol was established for P. taeda. pt_BR
dc.format 83 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Propagação e fisiologia de espécies florestais pt_BR
dc.title Organogênese direta de Pinus taeda L. pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
dissertacao_Tatiana Mazon Cezar.pdf 1.472Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account