Biblioteca Florestal
Digital

Características químicas de organossolo da Floresta Ombrófila Densa Altomontana do Morro Anhangava - PR e esclerofilia em Ilex microdonta (Aquifoliaceae)

Show simple item record

dc.contributor.advisor Wisniewski, Celina
dc.contributor.author Paula, Rodrigo Aquino de
dc.date.accessioned 2016-03-11T12:38:41Z
dc.date.available 2016-03-11T12:38:41Z
dc.date.issued 2008
dc.identifier.citation PAULA, R. A. Características químicas de Organossolo da Floresta Ombrófila Densa Altomontana do Morro Anhangava - PR e esclerofilia em Ilex microdonta (Aquifoliaceae). 2008. 71 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2008. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17155
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.description.abstract Este trabalho teve como objetivo avaliar a esclerofilia, os teores e eficiência na utilização dos macronutrientes foliares da espécie l. microdonta (Reissek) – AQUIFOLIACEAE, na Floresta Ombrófila Densa Altomontana do morro do Anhangava, Quatro Barras, PR. A esclerofilia foi correlacionada estatisticamente com as características químicas do Organossolo sobre o qual a floresta se desenvolve e com os teores de nutrientes das folhas. Foram coletadas amostras de folhas novas e maduras, das quais foram estimados o peso seco, a área foliar, a área específica foliar, a densidade estomática e a espessura para avaliar a esclerofilia. Foram determinados os teores dos macronutrientes (nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e magnésio) totais e solúveis do solo e das folhas. O conteúdo foliar de nutrientes foi calculado a partir do peso de 100 folhas e a eficiência na utilização dos nutrientes foi calculada dividindo-se o conteúdo de nutrientes pela massa seca das folhas. O solo, classificado como Organossolo fólico fibrico/mésico/saprico, apresentou acúmulo de matéria orgânica em diferentes estágios de decomposição com espessura média de 20cm, pH extremamente baixo, caráter alítico e baixos teores de macronutrientes, especialmente P. As folhas maduras apresentaram maior grau de esclerofilia que as folhas mais jovens e ambas apresentaram baixos teores de P, teores muito altos de K e teores de N, Ca e Mg comparáveis a outras espécies do mesmo gênero. A relação N:P indicou que o P é o nutriente limitante no ambiente altomontano estudado. A espécie é muito eficiente na utilização do P. Embora correlações entre a esclerofilia e os teores de nutrientes do solo e das folhas tenham se mostrado fracas e não significativas, concluiu-se que a esclerofilia observada pode ser atribuída aos baixos teores de P no solo. pt_BR
dc.description.abstract Este trabalho teve como objetivo avaliar a esclerofilia, os teores e eficiência na utilização dos macronutrientes foliares da espécie l. microdonta (Reissek) – AQUIFOLIACEAE, na Floresta Ombrófila Densa Altomontana do morro do Anhangava, Quatro Barras, PR. A esclerofilia foi correlacionada estatisticamente com as características químicas do Organossolo sobre o qual a floresta se desenvolve e com os teores de nutrientes das folhas. Foram coletadas amostras de folhas novas e maduras, das quais foram estimados o peso seco, a área foliar, a área específica foliar, a densidade estomática e a espessura para avaliar a esclerofilia. Foram determinados os teores dos macronutrientes (nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e magnésio) totais e solúveis do solo e das folhas. O conteúdo foliar de nutrientes foi calculado a partir do peso de 100 folhas e a eficiência na utilização dos nutrientes foi calculada dividindo-se o conteúdo de nutrientes pela massa seca das folhas. O solo, classificado como Organossolo fólico fibrico/mésico/saprico, apresentou acúmulo de matéria orgânica em diferentes estágios de decomposição com espessura média de 20cm, pH extremamente baixo, caráter alítico e baixos teores de macronutrientes, especialmente P. As folhas maduras apresentaram maior grau de esclerofilia que as folhas mais jovens e ambas apresentaram baixos teores de P, teores muito altos de K e teores de N, Ca e Mg comparáveis a outras espécies do mesmo gênero. A relação N:P indicou que o P é o nutriente limitante no ambiente altomontano estudado. A espécie é muito eficiente na utilização do P. Embora correlações entre a esclerofilia e os teores de nutrientes do solo e das folhas tenham se mostrado fracas e não significativas, concluiu-se que a esclerofilia observada pode ser atribuída aos baixos teores de P no solo. pt_BR
dc.format 71 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Solos e nutrição florestal pt_BR
dc.title Características químicas de organossolo da Floresta Ombrófila Densa Altomontana do Morro Anhangava - PR e esclerofilia em Ilex microdonta (Aquifoliaceae) pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
dissertacao_Rodrigo Aquino de Paula.pdf 912.6Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account