Biblioteca Florestal
Digital

Aplicação de herbicidas pré-emergentes na implantação e reforma de áreas de Eucalyptus urophylla, antes e após o plantio

Show simple item record

dc.contributor.advisor Sousa, Nilton José
dc.contributor.author Rezende, Eduardo Henrique
dc.date.accessioned 2016-03-10T12:53:07Z
dc.date.available 2016-03-10T12:53:07Z
dc.date.issued 2014-03-11
dc.identifier.citation REZENDE, E. H. Aplicação de herbicidas pré-emergentes na implantação e reforma de áreas de Eucalyptus urophylla, antes e após o plantio. 2014. 91 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba. 2014. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/17141
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.description.abstract Conhecer a eficiência dos herbicidas pré-emergentes utilizados em plantios de eucalipto, em relação ao controle das plantas daninhas e também aos efeitos fitotóxicos, que estes podem causar, são informações fundamentais para a implantação de um plantio desta espécie. Com base nessa premissa o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de moléculas de herbicidas pré-emergentes no controle de plantas daninhas em plantios de Eucalyptus urophylla, em área de implantação e reforma. Os experimentos realizados foram implantados em campo no município de Agudos, noroeste do estado de São Paulo. Foi utilizado delineamento em blocos casualizados com 4 repetições por tratamento. Os tratamentos utilizados foram Isoxaflutole (200 g.ha - 1), Flumioxazina (180 g.ha - 1 ), Sulfrentazone (1 l.ha -1 ), Carfrentazona + Clomazona (1,5 l.ha -1 ), Clomazona (2,5 l.ha -1 ), Sulfrentazona + (Carfrentazona + Clomazona) (0,8 + 1,25 l.ha -1 ) e Isoxaflutole + Flumioxazina (100 + 180 g.ha -1 ), aplicados em pré e pós-plantio das mudas de E. urophylla, em área de implantação e reforma, e uma testemunha sem aplicação de herbicidas. Foi feito um inventário por meio de amostragens de plantas daninhas nas duas áreas, para comparação entre as espécies existentes. A avaliação da eficiência de controle foi realizada com base na porcentagem de controle das plantas daninhas até os 100 DAA e número de plantas daninhas por metro quadrado. Para determinação da fitotoxidade dos herbicidas a E. urophylla avaliou-se os efeitos fitotóxicos causados e sua severidade em mudas de E. urophylla tratadas, em pré e pós- plantio, assim como o crescimento das mudas em altura durante 180 DAA. Foram identificadas e catalogadas 19 espécies de plantas daninhas distribuídas em 12 famílias botânicas, nas duas áreas, sendo que a área de reforma apresentou maior número de espécies de plantas daninhas em relação a área de implantação. Na área de implantação, os tratamentos que obtiveram as melhores eficiências de controle com 100 DAA foram Flumioxazina, Sulfentrazone, Sulfentrazone + (Carfentrazona + Clomazona) e Isoxaflutole + Flumioxazina enquanto na área de reforma foram Isoxaflutole, Flumioxazina, Sulfentrazone, Sulfentrazone + (Carfentrazona + Clomazona) e Isoxaflutole + Flumioxazina. Os tratamentos Flumioxazina, Sulfentrazone, Carfentrazone + Clomazona, Clomazona e Sulfentrazone + (Carfentrazona + Clomazona) apresentaram pelo menos um tipo de sintoma de fitotoxidade as mudas de E. urophylla nas duas formas de aplicação. Ao longo do tempo as mudas que haviam apresentado sintomas visuais de fitotoxidade, recuperaram e voltaram a apresentar aspecto normal semelhante a testemunha sem aplicação. Os herbicidas influenciaram somente o desenvolvimento inicial das mudas de E. urophylla apenas em relação a forma de aplicação. A aplicação em pós-plantio afetou o crescimento em altura das mudas durante os primeiros 90 DAA, aos 180 DAA notou-se uma recuperação no ritmo de crescimento das plantas. Portanto os herbicidas pré-emergentes utilizados no experimento proporcionaram eficiência de controle diferenciada em relação ao controle das plantas daninhas, bem como, em relação aos sintomas visuais de fitotoxidade nas mudas de E. urophylla. pt_BR
dc.description.abstract Knowing the efficiency of pre-emergent herbicides used in eucalyptus plantings regarding the weed control and the phytotoxic effects they can cause is fundamental information for this species planting implantation. With this in mind, this study aimed to evaluate the effect of pre-emergent herbicides molecules for the weed control in Eucalyptus urophylla plantings on implantation and replanting areas. The experiment was conducted in Agudos, northwest of Sao Paulo. The statistical delineament employed was the blocks at random, with 4 repetitions per treatment. The chosen treatments were Isoxaflutole (200 g.ha - 1), Flumioxazine (180 g.ha -1 ), Sulfrentazone (1 l.ha -1 ), Carfrentazone + Clomazone (1,5 l.ha -1 ), Clomazone (2,5 l.ha -1 ), Sulfrentazone + (Carfrentazone + Clomazone) (0,8 + 1,25 l.ha -1 ) and Isoxaflutole + Flumioxazine (100 + 180 g.ha - 1 ), applied on E. urophylla seedlings on their pre and post planting on the implantation and replanting areas and also two other treatments: one without herbicide application and another with hoeing at 90 days after the application (DAA). An inventory was made by using the weed samples on both areas to compare the existent species. To evaluate the control efficiency, the weed control percentage was evaluated until the 100 DAA, together with the number of weed per square meter. Regarding the phytotoxicity of herbicides to E. urophylla, the phytotoxic effects and their severity to the E. urophylla seedlings that were treated with these herbicides were evaluated, in pre and post- planting, and also the seedlings height growing during 180DAA. 19 different weed species were identified and divided into 12 botanical families, on both areas, of which the replanting area was the one with the largest number of weed species, when compared to the implantation area. The treatments with the best control efficiency on the implantation area at 100 DAA were Flumioxazine, Sulfentrazone, Sulfentrazone + (Carfentrazone + Clomazone) and Isoxaflutole + Flumioxazine whilst on the replanting area they were Isoxaflutole, Flumioxazine, Sulfentrazone, Sulfentrazone + (Carfentrazone + Clomazone) and Isoxaflutole + Flumioxazine. The treatments Flumioxazine, Sulfentrazone, Carfentrazone + Clomazone, Clomazone and Sulfentrazone + (Carfentrazone + Clomazone) presented at least one type of phytotoxicity symptom to the E. urophylla seedlings on both application methods. As time went by, the seedlings that had presented visual symptoms of phytotoxicity, recovered and got back to their usual aspect, alike the treatment without application. The herbicides influenced only the initial development of E. urophylla seedlings and only regarding the application method. The post planting application affected the seedlings height growth during the first 90 DAA, at 180 DAA there could be noticed a recovery on the plants growth rhythm. Therefore the pre-emergent experimented herbicides allowed a distinguished control efficiency regarding the weed control as well as the visual phytotoxicity symptoms over the E. urophylla seedlings. pt_BR
dc.format 91 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal do Paraná pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Proteção florestal: pragas e doenças pt_BR
dc.title Aplicação de herbicidas pré-emergentes na implantação e reforma de áreas de Eucalyptus urophylla, antes e após o plantio pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
dissertacao_Eduardo Henrique Rezende.pdf 1.744Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account