Biblioteca Florestal
Digital

Uso do estimador geoestatístico para predição volumétrica por talhão

Show simple item record

dc.contributor.author Mello, José Márcio de
dc.contributor.author Oliveira, Marcelo Silva de
dc.contributor.author Batista, João Luís Ferreira
dc.contributor.author Justiniano Júnior, Paulo Ribeiro
dc.contributor.author Kanegae Júnior, Honório
dc.date.accessioned 2016-01-12T11:37:43Z
dc.date.available 2016-01-12T11:37:43Z
dc.date.issued 2006-05
dc.identifier.citation MELLO, J. M. et al. Uso do estimador geoestatístico para predição volumétrica por talhão. Floresta, Curitiba, v. 36, n. 2, p. 251-260, mai./ago. 2006. pt_BR
dc.identifier.issn 1982-4688
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/16535
dc.description.abstract A estimativa volumétrica de madeira por talhão em povoamento florestal é efetuada através do Inventário Florestal Pré-Corte. Para realização do Inventário Pré-Corte, lançou parcelas numa intensidade amostral maior do que a do Inventário Florestal Contínuo. Assim, além do custo de medição das parcelas do Inventário Florestal Contínuo, agrega-se o custo de medição das parcelas do Inventário Pré-Corte. A análise das informações do inventário pré-corte é efetuada com base nos conceitos da teoria clássica de amostragem, sem consideração da estrutura de continuidade espacial. Uma alternativa para obtenção da informação volumétrica por talhão seria utilizar um método capaz de estimar o volume com as parcelas permanentes. A krigagem de bloco é o método de predição da Geoestatística capaz de predizer o volume por talhão. O presente estudo teve como objetivo comparar estimativas por talhão, usando estimador clássico e geoestatístico. Os dados para realização do trabalho foram provenientes de cinco projetos florestais de Eucalyptus grandis, pertencentes à Votorantin Celulose e Papel. Obteve-se o volume total com casca das parcelas permanentes e as informações do inventário pré-corte. Foram comparadas as informações das estatísticas do inventário pré-corte com as do estimador geoestatístico. A diferença média entre o volume total, gerado pelo estimador clássico e o estimador geoestatístico, foi de 1%. O erro amostral por talhão do estimador geoestatístico variou menos do que o erro amostral do estimador clássico. Sugere-se o uso do estimador geoestatístico para estimativa por talhão, produzindo mais economia e precisão do que o inventário pré-corte, realizado segundo a teoria clássica de amostragem. pt_BR
dc.description.abstract The estimate wood volumetric per stand, in forest plantation, is made through the before felling inventory. For accomplishing the inventory a larger number of plots is established in the stand. Therefore, besides the cost of measuring the plots of the Continuous Forest Inventory, it is added the cost of the before felling forest inventory. The analysis of the information of the before felling inventory is made using classic statistics concepts, not considering the spatial continuity structure. One way of getting the volumetric information per stand would be to use a method of estimating the volume per stand using the information of the Continuous Forestry Inventory. Block Krigage is a geostatistic prediction method capable of predicting volume per stand. This method predicts the volume, considering the hole forest population spatial continuity to which the stands belong. This research compared the estimates made by stand using classic estimators and geoestatístic estimators. Data were collected in five Eucalyptus grandis stands, belonging Votorantim Pulp and Paper. Total volume with bark of the fixed plots and the information of the before felling inventory were obtained. The statistics of the before felling inventory and those of the geoestatístic estimator were compared. The average difference among the total volume, generated by the classic estimator and the geostatístic estimator was 1%. The sampling error, per stand, of the geostatístic estimator varied less than that of the classic estimator. The use of the geoestatístic estimator for volume estimates, per stand, is recommended, because it cost less and is more precise than the classical before felling forestry inventory. pt_BR
dc.format 10 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná pt_BR
dc.relation.ispartofseries Floresta:v.36,n.2;
dc.subject.classification Ciências Florestais::Manejo florestal::Manejo de florestas equiâneas pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Manejo florestal::Dendrometria e mensuração florestal pt_BR
dc.title Uso do estimador geoestatístico para predição volumétrica por talhão pt_BR
dc.title Geostatistical estimator for forest yield prediction at stand level pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Revista_Floresta_v36_n2_p251-260_2006.pdf 256.7Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account