Biblioteca Florestal
Digital

Análise dos fatores humanos e condições de trabalho em operações de implantação florestal

Show simple item record

dc.contributor.author Lopes, Eduardo da Silva
dc.contributor.author Vosniak, Janaine
dc.contributor.author Fiedler, Nilton César
dc.contributor.author Inoue, Mário Takao
dc.date.accessioned 2015-10-02T17:52:16Z
dc.date.available 2015-10-02T17:52:16Z
dc.date.issued 2011-10
dc.identifier.citation LOPES, E. S. et al. Análise dos fatores humanos e condições de trabalho em operações de implantação florestal. Floresta, Curitiba, v. 41, n. 4, p. 707-714, out./dez. 2011. pt_BR
dc.identifier.issn 1982-4688
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/15347
dc.description.abstract Este trabalho teve por objetivo analisar os fatores humanos e condições de trabalho nas operações de implantação florestal. A coleta dos dados ocorreu por meio de entrevistas realizadas com 48 trabalhadores florestais das atividades de coveamento, plantio e adubação. Os resultados indicaram que a média de idade dos trabalhadores foi de 31,7 anos, estatura de 170,1 cm e peso de 74,2 kg; 77,9% eram de origem rural, 58,9% eram casados e 77,5% não concluíram o Ensino Fundamental. Quanto ao tempo de serviço na empresa, a média foi de 30,4 meses e o tempo médio de experiência na função foi de 23,0 meses. Em relação à lateralidade, 58,3% dos trabalhadores da atividade de coveamento eram destros e 41,7% eram canhotos, o que podendo influenciar na adaptação dos trabalhadores para a execução da operação. A elevada incidência de dores nas pernas (40,7%) e nas costas (30,3%) foi afirmada pelos trabalhadores do coveamento como sendo causada pelo elevado peso do equipamento. O capacete com viseira foi apontado pelos trabalhadores como causa de dores de cabeça e dificuldade de visão, e as luvas como causa de umedecimento das mãos e perda de sensibilidade, situações que podem dificultar o manuseio do perfurador de solo no trabalho. pt_BR
dc.description.abstract The aim of this research was to analyze human factors and work conditions in forest planting operations. Data were collected by interviews with 48 workers of hole-digging, planting and fertilizing activities. The results indicated that the workers average age was 31.7 years, height 170.1 cm and body weight 74.2 Kg. 77.9% were of rural origin, 58.9% were married and 77.5% did not reach basic schooling. The average job time in the company was 30.4 months and the average time of activity experience was 23.0 months. Most (58.3%) of the workers of hole-digging were dexterous and 41.7% were left-hand, which may influence the adaptation of workers in operation of the equipment. The high incidence of leg (40.7%) and back pain (30.3%) was affirmed by the workers of hole-digging as caused by the high weight of the equipment. The helmet with visor was appointed by workers as cause of headaches and vision difficulty and gloves were identified as cause to wet hands and hardly handling punch land in work. pt_BR
dc.format 8 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná pt_BR
dc.relation.ispartofseries Floresta:v.41,n.4;
dc.subject.classification Ciências Florestais::Manejo florestal::Ergonomia pt_BR
dc.title Análise dos fatores humanos e condições de trabalho em operações de implantação florestal pt_BR
dc.title Human factors and work conditions analysis in forest planting operations pt_BR
dc.type Artigo pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Revista_Floresta_v41_n4_p707-714_2011.pdf 79.44Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account