Biblioteca Florestal
Digital

Interação entre a espécie-chave Araucária angustifolia e pequenos mamíferos na Mata Atlântica do sul do Brasil

Show simple item record

dc.contributor.advisor Passamani, Marcelo
dc.contributor.author Ferracioli, Paula
dc.date.accessioned 2015-05-20T14:39:49Z
dc.date.available 2015-05-20T14:39:49Z
dc.date.issued 2013-06-03
dc.identifier.citation FERRACIOLI, P. Interação entre a espécie-chave Araucária angustifolia e pequenos mamíferos na Mata Atlântica do sul do Brasil. 2013. 113 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada) - Universidade Federal de Lavras, Lavras. 2013. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/13811
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal de Lavras pt_BR
dc.description.abstract A espécie Araucaria angustifolia Bert. (O.) Kuntze, popularmente conhecida como pinheiro-do-Paraná ou simplesmente araucária, é a única conífera nativa em território brasileira e devido a sua abundância caracteriza a Floresta Ombrófila Mista (FOM), também chamada de Floresta com Araucária, formação florestal intensamente desmatada no Sul do Brasil. Suas sementes, popularmente chamadas de “pinhões”, são um importante recurso na dieta de muitos animais da FOM durante o período de menor disponibilidade dos demais recursos da floresta. Em troca, os animais que se alimentam delas as dispersam para longe das plantas de origem garantindo que se estabeleçam em locais mais favoráveis à sua germinação. Nós avaliamos a remoção de sementes de A. angustifolia pelos animais da FOM do Parque Nacional do Iguaçu, Paraná, além de verificar se os recursos disponíveis na região, tais como pinhões, artrópodes e sementes/frutos de angiospermas influenciam os padrões populacionais da comunidade de pequenos mamíferos. Todas as sementes que foram removidas dos experimentos foram levadas por pequenos mamíferos e nenhuma delas permaneceu intacta após a remoção. Somente dois pequenos roedores foram fotografados removendo as sementes, Akodon montensis e Euryoryzomys russatus e ambas as espécies foram as mais abundantes durante a amostragem de pequenos mamíferos. Evidenciamos que as sementes de araucária estão disponíveis em meses que os demais recursos tem baixa abundância no ambiente, principalmente a biomassa seca de artrópodes. Em áreas de FOM com influência direta da A. angustifolia a disponibilidade de pinhões no solo apresentaram uma correlação positiva com a abundância total de pequenos mamíferos (rs = 0.84; p < 0.001) e, em particular, com a abundância das duas espécies mais abundantes, A. montensis (rs = 0.83; p < 0.001) e E. russatus (rs = 0.54; p = 0.0139). Entretanto, os demais recursos avaliados (artrópodes e sementes/frutos de angiospermas) não apresentaram correlação entre as três variáveis-resposta, demonstrando a importância da conífera para a comunidade de pequenos mamíferos. Já em áreas sem a influência direta da árvore, somente a biomassa seca de artrópodes se correlacionou negativamente com a abundância total de pequenos mamíferos (rs = -0.56; p = 0.004) e abundância da espécie A. montensis (rs = -0.59; p = 0.002). Por frutificar em grande quantidade em períodos de escassez dos demais recursos alimentares e servir de alimento para uma gama de frugívoros a conífera A. angustifolia pode se passar por uma espécie-chave no provimento de recursos para frugívoros de FOM, porém, nossos resultados demonstram que esta conífera exibe características de espécie dominante, como por exemplo, efeito alelopático antagônico sob plantas adjacentes, mantendo constante e escassa a disponibilidade de outros recursos alimentares (recursos vegetais e artrópodes) o que assegura que suas sementes se tornem o principal e mais abundante item alimentar disponível em áreas sob sua influência direta, mascarando-se como espécie-chave. Porém, mais estudos devem ser realizados para verificar a importância dos pequenos roedores na dispersão de suas sementes visto que este grupo é tido como o maior removedor e predador das mesmas. pt_BR
dc.description.abstract The species Araucaria angustifolia Bert. (O.) Kuntze, popularly known as pinheiro-do-Paraná or just araucaria, is the only native conifer in Brazil and due to its abundance features the Araucaria Forests (AF), forest type intensely deforested in southern Brazil. Their seeds, popularly called "pinhões", are an important resource in the diet of many animals during the period of reduced availability of other resources in the forest. In turn, the animals that feed on them to disperse away from the source plant ensuring that seedlings are established in locations most favorable for germination. We evaluated the removal of seeds of A. angustifolia by animals' MRF of Iguassu National Park, Paraná, and verified if the available resources in the area (pinhões, arthropods and angiosperms seeds / fruits) is correlated with population patterns of small mammal community. The results showed that all seeds were removed from the experiments by small mammals and none remained intact after removal. Only two small rodents were photographed removing the seeds, Akodon montensis and Euryoryzomys russatus and both species were more abundant. We demonstrated that the seeds of Araucaria are available in months that other resources has low abundance in the environment, especially the arthropods dry biomass. In areas of AF the pinhões showed a positive correlation with the total abundance of small mammals (rs = 0.84; p < 0.001) and in particular through the abundance of the two most abundant species A. montensis (rs = 0.83; p < 0.001) and E. russatus (rs = 0.54; p = 0.0139). However, other resources evaluated (arthropods and seeds/fruits of angiosperms) were not correlated between the three response variables, demonstrating the importance of conifer for small mammal community. Yet in areas without the direct influence of the tree, only the arthropods dry biomass correlated negatively with the total abundance of small mammals (rs = -0.56, p = 0.004) and abundance of the species A. montensis (rs = -0.59, p = 0.002). For fruit in large quantities during periods of scarcity of other food resources and serve as food for a range of fruit coniferous Araucaria angustifolia can pass for a key species in providing resources for frugivores AF, however, our results demonstrate that this conifer displays characteristics of dominant species, such as antagonistic allelopathic effect on adjacent plants, maintaining constant and scarce availability of other food resources (plant resources and arthropods) which ensures that the seeds become the main and most abundant food item available in areas under his direct influence, masquerading as key species. However, more studies should be performed to verify the importance of small rodents in the dispersal of their seeds since this group is considered the greatest predator and remover the same. pt_BR
dc.format 113 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Lavras pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Meio ambiente::Ecologia e ecossistemas florestais pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Sementes florestais pt_BR
dc.title Interação entre a espécie-chave Araucária angustifolia e pequenos mamíferos na Mata Atlântica do sul do Brasil pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Dissertacao_Paula Ferracioli.PDF 1.646Mb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account