Biblioteca Florestal
Digital

Adubações orgânica, mineral e organomineral no crescimento, produção e qualidade de frutos da mangueira ‘ubá’

Show simple item record

dc.contributor.advisor Freitas, Gilberto Bernardo de
dc.contributor.author Borges, Karina Schulz
dc.date.accessioned 2015-05-06T17:45:50Z
dc.date.available 2015-05-06T17:45:50Z
dc.date.issued 2013-09-06
dc.identifier.citation BORGES, K. S. Adubações orgânica, mineral e organomineral no crescimento, produção e qualidade de frutos da mangueira 'ubá'. 2013. 47 f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2013. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/13609
dc.description Dissertação de Mestrado defendida na Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.description.abstract Devido ao clima apropriado ao cultivo da mangueira, a Zona da Mata mineira destaca- se pela produção de manga ‘Ubá’, destinada principalmente às agroindústrias que comercializam a polpa orgânica e convencional. A maior parte dos pomares, contudo, são de fundo de quintal conduzidos praticamente sem nenhum tipo de trato cultural. A adubação das mangueiras é um dos principais pontos fracos do manejo na Zona da Mata e pode acentuar a grande alternância da produção de frutos ao longo dos anos. Deste modo, o objetivo do trabalho foi avaliar a resposta de mangueiras ‘Ubá’ a adubações minerais, orgânicas e organominerais em relação ao crescimento, produção e qualidade dos frutos. O experimento foi instalado em 2007, com o delineamento experimental de blocos ao acaso e a aplicação de quatro tratamentos de adubação: 1) TEST - testemunha (apenas adubação de plantio), 2) MIN - adubação mineral indicada para a cultura, 3) ORG - adubação orgânica equivalente à adubação mineral e 4) ORM - adubação organomineral (metade da dose da adubação mineral e metade da dose da adubação orgânica). Foram feitas medidas de crescimento vegetativo da planta (diâmetro e altura), produtividade (kg/planta) e análises físico- químicas dos frutos: massa fresca, rendimento de polpa, pH, acidez titulável (AT), sólidos solúveis (SS), relação SS/AT e teor de ácido ascórbico. Nos dois últimos anos de cultivo, plantas TEST apresentaram menor produção de frutos, o que possibilitou o aporte de recursos para o alcance de medidas vegetativas semelhantes ao de plantas adubadas. Plantas TEST apresentaram acentuada alternância na produção de frutos. Frutos dos tratamentos ORG e ORM apresentaram maiores índices de massa fresca. Frutos de plantas TEST possuíram médias de AT acima do limite estabelecido pelas agroindústrias. A relação SS/AT foi maior para os tratamentos de plantas adubadas, em relação à TEST, indicando melhor qualidade quanto ao atributo sabor. As variáveis pH, SS e teor de ácido ascórbico não se diferenciaram entre os tratamentos. Conclui- se, pois, que mangueiras não adubadas (TEST) produziram frutos com qualidade inferior e que a adubação é um fator determinante para a produção de frutos de manga 'Ubá', podendo os adubos minerais ser parcial ou totalmente substituídos por adubos orgânicos. pt_BR
dc.description.abstract The Zona da Mata of Minas Gerais is known for the cultivation of mango ‘Uba’ due to its suitable climate. The majority of the production is meant for agrobusiness as organic and conventional pulp. Most orchards, however, are managed as backyards without profound cultural treatments. The fertilization of mango trees is one of the major weaknesses of the management and influences the large variation of fruit production over the years. Thus, the aim of this study was to evaluate the response of the mango trees 'Uba' to mineral, organic and organic-mineral fertilizers in relation to the growth, production and fruit quality. The experiment was installed in 2007 with randomized blocks as experimental design and the application of four fertilization treatments: 1) TEST - control (only planting fertilization), 2) MIN - mineral fertilizer suitable for the culture, 3) ORG - organic manure equivalent to mineral fertilization and 4) ORM - organic-mineral fertilizer (half of mineral fertilizer and half of organic manure). Were determined properties of vegetative growth (diameter and height), production (kg/plant) and physico-chemical characteristics of the fruits: fresh pulp yield, pH, titratable acidity (TA), soluble solids (SS), ratio SS/AT and ascorbic acid. During the last two years the plants grown without fertilization showed similar properties of vegetative growth to those grown with fertilizers. This may be due to the lower fruit production by the non fertilized plants, which invest more resources in vegetative growth. Unfertilized plants also showed significant in fruit production. The fruits of ORG and ORM treatments had higher fresh weight. Fruits of unfertilized plants showed averages of TA above the limit set by agroindustry. The SS/TA ratio was higher for fertilized plants, indicating a better quality of fruits in terms of flavor. The variables pH, SS and ascorbic acid did not differ between the treatments. We can conclude that unfertilized plants produce mangos with lower quality. Fertilization is a determining factor for the production of mango ‘Uba’. No difference was found between organic and mineral fertilizers. Mineral fertilizers can be partially or totally replaced by organic fertilizers. pt_BR
dc.format 47 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Solos e nutrição florestal pt_BR
dc.title Adubações orgânica, mineral e organomineral no crescimento, produção e qualidade de frutos da mangueira ‘ubá’ pt_BR
dc.title Organic, mineral and organic-mineral fertilizers in growth, production and fruit quality of mango 'Ubá' pt_BR
dc.type Dissertação pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
dissertacao_Karina-Schulz-Borges.pdf 390.9Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account