Biblioteca Florestal
Digital

Atratividade, em campo, de extratos botânicos em iscas formicidas

Show simple item record

dc.contributor.advisor Della Lucia, Terezinha Maria Castro
dc.contributor.author Comini, Indira Bifano
dc.date.accessioned 2015-03-27T18:54:49Z
dc.date.available 2015-03-27T18:54:49Z
dc.date.issued 2014-10-31
dc.identifier.citation COMINI, I. B. Atratividade, em campo, de extratos botânicos em iscas formicidas. 2014. 21 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2014. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br:80/handle/123456789/13302
dc.description Trabalho de Conclusão de Curso defendido na Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.description.abstract As formigas-cortadeiras se constituem na principal praga florestal do país por não fazerem distinção quanto à idade das florestas e pela sua ocorrência durante os doze meses do ano, causando danos aos plantios e prejuízos àqueles que investem em florestas plantadas. Devido a estas perdas de cunho econômico geradas pela atividade das cortadeiras faz-se necessário colocar em prática o controle desta praga. A técnica de controle mais utilizada se baseia no uso de iscas formicidas granuladas. A atratividade é um fator importante no início do processo de combate através de iscas granuladas, decisivo para o sucesso no final do mesmo. Sabe-se que existem produtos alternativos à polpa cítrica, o atrativo mais utilizado na composição das iscas formicidas na atualidade, que apresentam maior potencial de atração pelas operárias. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo testar em campo, a atratividade de extratos botânicos em iscas formicidas sobre operárias de Atta sexdens Linnaeus para inferir se algum deles tem potencial para ser utilizado na composição de iscas como componente atrativo em comparação à polpa cítrica. A metodologia utilizada consistiu em oferecer às operárias iscas dispostas em seis tratamentos (iscas placebo com extratos das plantas Arruda, Jaborandi, Santa Maria e Voadeira, somente a isca placebo e a isca comercial), e verificar a quantidade que cada um deles é carregado para o interior da colônia, em intervalos de tempo pré-determinados. Verificou-se também qual deles as operárias carregaram primeiramente, em quanto tempo e a velocidade de carregamento por tratamento, em cinco trilhas de forrageamento. Desse modo, todos os tratamentos constituídos de iscas (placebo) com extratos de plantas não apresentaram desempenho diferente entre si, porém todos se mostraram melhores em relação à isca comercial utilizada. Portanto, observou-se nos extratos testados um potencial de atratividade maior em relação à polpa cítrica, implicando no uso dos mesmos como produtos alternativos ao atrativo comercial. pt_BR
dc.format 21 folhas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de Viçosa pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Silvicultura::Proteção florestal: pragas e doenças pt_BR
dc.title Atratividade, em campo, de extratos botânicos em iscas formicidas pt_BR
dc.type TCC pt_BR

Files in this item

Files Size Format View
Monografia_Indira Bifano Comini.pdf 440.9Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account