Biblioteca Florestal
Digital

Rendimento no processamento de madeira no estado do Pará

Show simple item record

dc.contributor.author Gerwing, Jeffrey
dc.contributor.author Vidal, Edson
dc.contributor.author Veríssimo, Adalberto
dc.contributor.author Uhl, Christopher
dc.date.accessioned 2014-10-16T12:07:37Z
dc.date.available 2014-10-16T12:07:37Z
dc.date.issued 2001
dc.identifier.citation GERWING, J. et al. Rendimento no processamento de madeira no estado do Pará. Belém: Imazon, Série Amazônia, n. 18, 2001. 38 p. pt_BR
dc.identifier.uri http://www.bibliotecaflorestal.ufv.br/handle/123456789/12010
dc.description O conteúdo é apresentado em: Introdução; Métodos: Região de estudo e seleção das empresas / Rendimento por empresa madeireira; Resultados e discussão: Fatores que afetam o rendimento / Comparação entre uma serraria na Amazônia e uma empresa moderna / Tendências no rendimento madeireiro; Conclusão; Epílogo; Agradecimentos; Referências bibliográficas. pt_BR
dc.description.abstract Neste estudo, examinamos os fatores que influenciam o rendimento do processamento de toras em dez serrarias e duas laminadoras em Paragominas, na Amazônia Oriental. Além disso, através de um levantamento de 52 empresas madeireiras, caracterizamos as tendências do processamento de madeira na região. Os rendimentos médios totais foram mais altos para as laminadoras (39%), seguindo-se as serrarias que produzem para o mercado doméstico (36%) e as de exportação (32%). O processamento para o mercado externo reduziu o rendimento da empresa madeireira, uma vez que as exigências de qualidade desse mercado permitem apenas de- feitos pequenos na madeira processada. Observamos uma variedade de fatores que influenciam o rendimento do processamento de toras. A degradação durante o armazenamento causou perdas substanciais de volume da tora. Na indústria de laminação, danos causados por insetos resultaram na perda de 8% do volume total da tora. Nas serrarias, as perdas por ataques de insetos variaram de 0% a 13% dependendo da espécie. A variação na espessura da madeira processada, resultante da utilização de equipamentos de processamento inadequados ou gastos, causou perdas de mais de 8% do volume durante o processamento. O rendimento das empresas madeireiras foi maior (em até 10% do volume total da tora) para aquelas que usavam sobras de madeira ou de laminados para fabricar produtos secundários. A adoção de técnicas simples pode elevar o rendimento. Por exemplo, a melhoria no armazenamento de toras pode resultar em um aumento no rendimento de até 8%. Além disso, o uso de equipamento com melhor manutenção, o treinamento da mão-de-obra e o desenvolvimento de novos produtos podem aumentar o rendimento em 4% a 10%. Esses procedimentos podem resultar em aumento total do rendimento de 12% a 18% para as serrarias e laminadoras, respectivamente. pt_BR
dc.description.sponsorship Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e Usaid (Agência Norte-Americana para o Desenvolvimento Internacional). pt_BR
dc.format 38 páginas pt_BR
dc.language.iso pt_BR pt_BR
dc.publisher Instituto do homem e meio Ambiente da Amazônia - Imazon pt_BR
dc.relation.ispartofseries Série Amazônia;18
dc.subject.classification Ciências Florestais::Manejo florestal pt_BR
dc.subject.classification Ciências Florestais::Tecnologia e utilização de produtos florestais::Processamento mecânico da madeira pt_BR
dc.title Rendimento no processamento de madeira no estado do Pará pt_BR
dc.type Boletim Técnico pt_BR

Files in this item

Files Size Format View Description
IMAZON_Série-Amazônia-18.pdf 479.1Kb application/pdf View/Open ou Pre-visualizar Boletim técnico

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Sobre a Biblioteca Florestal

Browse

My Account